quinta-feira, 13 de setembro de 2012

HARDWARE, CONECTORES, INTERFACES e afins (final)



Vimos que o advento do USB facilitou sobremaneira a conexão de periféricos – razão pela qual, ao escolher um computador, convém conferir a quantidade e localização das entradas disponíveis e se familiarizar com os principais conectores existentes na face posterior do gabinete (oriente-se pela ilustração acima):

Interfaces SERIAL e DIN foram muito populares na pré-história da computação pessoal. A primeira, facilmente identificável pelo formato em “D” e por seus 9 pinos, era usada por mouses, modems analógicos, impressoras e Scanners daquela época, e a segunda, pelos teclados de então. Já a porta paralela serve para conectar dispositivos de legado, como impressoras matriciais (usadas para gerar cópias carbonadas de formulários e documentos afins - para saber mais, clique aqui).

Observação:  Não estranhe se você não encontrar essas interfaces no seu PC, pois a maioria dos mouses e teclados atuais usam entradas PS/2 ou USB, que também conectam impressoras e multifuncionais modernas. Vale salientar que conectores PS/2 para mouse e teclado têm o mesmo formato, conquanto utilizem cores diferentes para facilitar a identificação (verde para o mouse e roxo para o teclado).
      
A porta eSATA (à esquerda), mais veloz que a USB 2.O (6GB/s), foi criada como alternativa para a conexão de HDs externos e drives de mídia óptica, mas deve cair em desuso quando a versão 3.0 do USB se tornar popular.

A porta Ethernet (identificada como “Placa de rede” na figura principal) é usada tanto para interligar computadores em rede quanto para conectar modems digitais (com o famoso cabo azul e o plugue RJ45). À direita, vemos uma placa de fax-modem, (conector padrão RJ11), que servia (e ainda serve) para conectar o dispositivo em questão à linha telefônica. Note que placas “Gigabit Ethernet” são até dez vezes mais velozes do que as tradicionais “10/100”, mas, em ambos os casos, tanto as portas quanto os conectores são idênticos.

Portas analógicas de áudio se valem de um esquema padronizado de cores para prevenir a ligação incorreta dos componentes – microfone na porta rosa, caixas acústicas na verde, e assim por diante. Note que alguns sistemas oferecem saídas digitais (como é o caso da porta S/PDIF identificada como áudio digital na figura principal), e que o USB também vem sendo usado para emissão/recepção de sinal de áudio.

O jurássico padrão VGA (criado na década de 80) continua presente na maioria dos PCs com vídeo onboard, mas placas gráficas offboard geralmente trazem conectores DVI – padrão que será substituído dentro de alguns anos pela versátil DisplayPort (à direita). Já o padrão FireWire (IEEE 1394), usado para conexão de filmadoras antigas, iPods de primeira geração e equipamentos de áudio profissionais, aparece na nossa figura-exemplo, mas, graças à popularização do USB, você dificilmente irá encontrá-lo em PCs de fabricação recente.

Era isso, pessoal; abraços e até mais ler.
Postar um comentário