quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

N-BREAKS, TEMPESTADES ELÉTRICAS E QUE TAIS.

A MENOR DOR EM NOSSO DEDO MÍNIMO CAUSA-NOS MAIS PREOCUPAÇÃO E INQUIETUDES DO QUE A DESTRUIÇÃO DE MILHÕES DE NOSSOS SEMELHANTES.

Curiosamente, o calor infernal que vem castigando Sampa nas últimas semanas não tem provocado as tradicionais tempestades de final de tarde, que, entra ano, sai ano, afogam meio mundo e levam de embrulho os moveis e utensílios da outra metade. Por outro lado, a se prolongar demais, essa estiagem pode impôr racionamentos de água, energia elétrica ou ambos, dependendo de onde o infeliz tupiniquim tem seu pedaço de chão.
Num mundo ideal, um pé d’água de 20 minutos todo final de tarde estaria de bom tamanho para abafar a poeira e dispersar a poluição. Já na cabeceira dos rios que alimentam nossas represas e hidrelétricas, dilúvios de levar até o Poderoso Thor (deus do travão da Mitologia Nórdica) a sair de guarda-chuva seriam bem recebidos, pelo menos até que o status quo ante se restabelecesse. Só que não vivemos num mundo ideal.
Se você costuma passar o final de semana fora – ou mesmo se ninguém fica em casa quando você vai trabalhar – habitue-se a desligar da tomada seus eletroeletrônicos mais sensíveis (computador e periféricos, rádios-relógio, telefones sem fio, televisores etc.). No caso de um apagão da rede, só religue os aparelhos depois que a energia voltar e se estabilizar, evitando sujeitá-los àqueles tradicionais picos de tensão típicos de quando o fornecimento é restabelecido.
Lembre-se também de que a maioria dos “filtros de linha” não passa de benjamins providos de varistores, que permitem alimentar diversos aparelhos usando uma única tomada (o que não é boa política), mas não filtram coisa alguma e nem oferecem proteção adequada contra distúrbios da rede elétrica ou sobretensões decorrentes de relâmpagos e assemelhados. Para proteger seu equipamento, utilize um estabilizador de tensão de boa qualidade ou, se puder, um no-break on line (os modelos off line – mais baratos – usam a energia da tomada até que um problema na rede seja detectado, e só então passam a alimentar o computador pela bateria interna).
Boa sorte a todos e até a próxima.

10 comentários:

Luiz Cidreira disse...

Com certeza absoluta; tudo dito aqui é de inteira verdade e confiabilidade, sabemos muito bem disso.
Esperamos que os leitores do Fernando passem a tirar da leitura a lição.
Valeu mestre...
Abraço

Laís disse...

Oi de novo.
Na toca não inunda e nem dá choque mas é bom saber.
Fui, beijos.

Martha disse...

Oi Fernando
Eu uso o filtro de linha e estabilizador mas fico atenta quando chove; só não sabia desse no-break on line.....
Sai muito caro?
Bjs e obrigada

Fernando Melis disse...

Oi, Luizão.
Valeu, meu rei; aliás, como sempre.
Tome uma água de coco por mim aí; aqui, só embalada em caixinhas tetra pack (sumiram os cocos in natura, rapaz, e olha que eu gosto de abrir o desinfeliz para apreciar o "recheio").
Abração.

Fernando Melis disse...

Oi, dona raposa.
Não custa por os bigodes de molho (risos).
Beijos.

Fernando Melis disse...

Oi, Martha.
O no-break é a solução mais recomendada por alimentar o computador durante um apagão inesperado durante tempo suficiente para que o usuário conclua seus trabalhos, encerre os programas e desligue o PC da maneira adequada. Os modelos online – também conhecidos como UPS ou Uninterruptible Power Suply – são os mais indicados, pois sua estrutura básica é composta por um retificador, um inversor e um banco de baterias. O bloco retificador “corrige” a rede elétrica e carrega as baterias (a tensão, uma vez retificada, alimenta o bloco inversor, cuja função é alternar a tensão novamente para a carga). Quando há energia elétrica na tomada, o banco é mantido sob carga lenta e o computador é alimentado via inversor; quando não há energia, o banco de baterias alimenta a carga também via inversor. Como a tensão é retificada e filtrada logo na entrada, e a alimentação é provida através do circuito inversor, o dispositivo consegue eliminar a maioria dos distúrbios – as baterias, na verdade, funcionam como um grande capacitor. O no-break off-line é mais barato, mas menos eficiente, porque só provê proteção responsável quando não há energia elétrica na tomada (situação em que o computador é alimentado diretamente pelas baterias).
O preço varia pra caramba, de acordo com a marca e modelo, mas você encontra boas opções da APC a partir de 200 reais.
Beijos, e sou eu quem agradece, viu?

Martha disse...

Oi Fernando
Obrigada pelas orientações e vou dar uma pesquisada pra ver se compro esse no-break assim que possível.
Bjs e tks a lot.

Fernando Melis disse...

Oi, Martha.
Dependendo da qualidade da energia no bairro onde você mora, isso não será um gasto, mas sim um investimento.
Mesmo que você use em casa um note, e que ele fique permanentemente ligado à tomada - situação em que a bateria lhe permite continuar trabalhando no caso de um apagão da rede -, convém dispor de alguma proteção adicional contra surtos e picos e tensão. O No-break é a solução ideal, pois mantém alimentado também periféricos como modem, roteador, impressora e o que mais estiver conectado a ele. Note, porém, que os modelos mais em conta disponibilizam uma reserva de carga que não permite grandes arroubos. É encerrar os trabalhos e desligar corretamente o Windows e aguardar a energia voltar.
Beijos e um ótimo final de semana, dona moça.

Luiz Cidreira disse...

O pior é que, com o advento das férias de final de ano, carnaval etc. etc. também não podemos apreciar muito, pois o preço subiu vertiginosamente dos R$2,00 ou 3,00 para 5,00 a 7,00 o coco inatura.
Pode!
Mas, quando eu for beber um deles temperarei com uma boa Vodca para desopilar do susto.
Abraço

Fernando Melis disse...

Oi, Luizão.
Acho que o susto vai ser ainda maior quando o botequineiro lhe disser o preço da vodka - risos.
Abraços.