segunda-feira, 17 de julho de 2017

NOVIDADES SOBRE AS FRANQUIAS DE DADOS ― AGORA NA BANDA LARGA MÓVEL

NEGOCIATA É UM BOM NEGÓCIO PARA O QUAL NÃO FOMOS CONVIDADOS.

Depois das (boas) notícias que venho publicando acerca da proibição da abominável franquia de dados na banda-larga fixa, volto ao assunto por conta de uma perspectiva que me parece alvissareira, só que agora em relação ao serviço de banda-larga móvel, provido pelas operadoras de telefonia celular.

A Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado aprovou na última quarta-feira (5) um projeto de lei que permite acumular o “saldo de internet” e utilizá-lo por até dois meses seguidos. Assim, se você dispuser de, por exemplo, 500 MB no momento do fechamento do seu plano de dados, esse remanescente será somado aos 2 GB (também por exemplo, já que essa grandeza varia conforme o plano contratado) a que você tem direito de usar no mês seguinte.

Na situação inversa, ou seja, quando “sobra mês no final da franquia”, a velocidade de navegação é reduzida ou o serviço fica suspenso até a liberação do novo pacote de dados. No entanto, se gente não utiliza integralmente o pacote de dados a que tem direito, o resíduo simplesmente “evapora”, sem que a operadora ofereça qualquer compensação financeira. Se tudo correr bem, as novas regras corrigirão essa distorção, e representarão mais uma vitória dos usuários sobre o cartela das operadoras.

O texto seguirá para a Comissão de Transparência, Fiscalização e Controle, onde os parlamentares irão decidir se a proposta precisa passar pelo plenário, por outra comissão ou, se aprovada, seguir adiante para a sanção do presidente da República da vez, e então entrar em vigor.

Observação: Presidente da vez porque, pelo andar da carruagem, é possível que daqui a alguns dias o deputado Rodrigo Maia esteja aboletado cadeira mais cobiçada do Palácio do Planalto. Mas isso já é assunto para a nossa comunidade de política.

           RIR É O MELHOR REMÉDIO:



Confira minhas atualizações diárias sobre política em www.cenario-politico-tupiniquim.link.blog.br/
Postar um comentário